5 modalidades do skate para conhecer e praticar

| |

Está pensando em entrar no mundo do skate, mas não sabe ao certo qual modalidade seguir? Fique tranquilo, estamos sempre prontos a te ajudar!

Há aqueles que até podem achar besteira e dizer que skate é tudo igual, mas entenda que a escolha da modalidade dita o seu setup, as manobras de skate possíveis de serem lançadas, a pista para a prática e até distingue tribos.

Como o skateboarding se constitui de diversas modalidades, muitas dúvidas na hora da escolha de um setup podem ser geradas, mas, com as dicas certas, você acertará em cheio em uma que se alinha ao seu perfil.

Afinal, aqueles que gostam de maior liberdade sobre o carrinho vão se amarrar no lifestyle, enquanto aqueles que prezam por velocidade podem se arriscar no speed e descer ladeiras muito íngremes com a adrenalina exalando sobre os poros. Então, se liga só e conheça cada uma delas!

1. Vertical

Esta modalidade é só sucesso e já ganhou um post especial aqui em nosso blog. O vert é uma modalidade do skate que foi popularizada nos anos 70 em um momento de adversidade climática da Califórnia e após a invenção das rodas de poliuretano, em 1972.

Piscinas vazias ditavam o momento, e os surfistas perceberam nelas um grande potencial para o despontar de um novo esporte que utilizava-se dos mesmos princípios do surfing – agora em cima de uma prancha reduzida e equilibrada sobre quatro rodinhas.

Com o skate vertical em evidência, muitas manobras foram consolidadas. Mas foi nos X-Games que o gigante Tony Hawk lançou uma manobra que entraria para a história do skate: o 900º.

Para aqueles que curtem tricks aéreas e pistas half-pipe, o vert é a modalidade da vez. Então, bora de acessórios de proteção e um shape resistente com a medida certa para aguentar o impacto com a rampa que é sucesso!

2. Street

Assim como a modalidade vertical, a modalidade street também já chegou por essas bandas, uma vez que é uma das categorias mais praticadas do skateboarding. E não é para menos: o street caiu muito bem com ambientações mais urbanísticas devido a pegada cosmopolita.

Com manobras mais livres, mas que quase sempre giram em torno do salto de obstáculos, como caixas, hidrantes, corrimões e escadas, esta é sem dúvidas uma modalidade para quem quer superar os seus próprios limites, mas também requer muita dedicação e várias tentativas.

Não é uma categoria limitada, e pode ser praticada em skateparks ou na rua, onde o lançamento de tricks fica ainda mais desafiador devido ao fluxo e tráfego próprios das cidades.

Se curte tricks que exigem saltos pontuais a obstáculos, o skate street é para você. Bora montar um shape de maple ou marfim para aguentar o tranco e, claro, trucks responsivos para garantir a estabilidade de movimento.

3. Longboard

Quer maior velocidade ou até mesmo ter a possibilidade de descer ladeira abaixo e sentir o vento e a adrenalina subindo? Arrisque-se no longboard que é sucesso. A modalidade tem ganhado muitos adeptos, porque subdivide-se em diversas categorias, o que a torna muito versátil e democrática.

Geralmente, com shapes maiores e rodas mais largas e macias, o longboard é uma modalidade de velocidade. Já soltamos por aqui uma publicação sobre long, mas nunca é demais dizer que a modalidade se alinha a perfis mais aventureiros e até a perfis mais criativos.

Isso porque as subcategorias são bem diversas e permissivas. Rola passinhos de dança na categoria dance, tricks livres no freestyle, descidas insanas no downhill e criação de manobras no freeride. Então, se te agrada shapes maiores e mais velozes, cola na modalidade long que é sucesso.

4. Cruiser

Sabe aquele skate pequeno que você vê uma galera na rua utilizando para passear? Provavelmente estamos falando de um cruiser. Ele é dividido em cruiser convencional e o cruiser mini, que – acredite se quiser – é ainda menor.

Em termos estéticos, o cruiser nos lembra bastante o long, mas em um tamanho compacto. Seu grande propósito é ser utilizado para locomoção e/ou passeio. O interessante dessa modalidade é que as rodas, por serem mais largas e macias, comportam até mesmo as vias urbanas, como asfaltos e calçadas.

Mas, uma dica: se vai de cruiser, tome cuidado para não desarmonizar o setup com trucks maiores que o shape, belê?

5. Speed

Se a sua pegada é mais velocidade sobre as quatro rodinhas, então talvez a sua modalidade de skate da vez seja a speed. Afinal, com um setup da fórmula um do skateboarding é possível chegar a mais de 100 km/h.

O que vai delimitar mesmo as altas velocidades são dois fatores: o treino constante e, claro, o setup escolhido. Em se tratando do speed, considere o uso de trucks invertidos, visando uma maior estabilidade sobre o shape. Rodas mais grossas e macias são essenciais e o uso de rolamentos de qualidade será o diferencial para aumentar a velocidade e evitar a xibada.

Agora sim! Bora escolher a modalidade, montar o seu setup e desbravar manobras por aí. Mas antes, não esqueça de deixar o seu comentário por aqui pra gente sobre o que achou do post e nos contar sobre a modalidade em que você decidiu se aventurar.

Até mais!

Anterior

Longboard para iniciantes: por dentro das modalidades e do skate ideal

Como montar um skate em 3 passos simples e rápidos

Próximo

Deixe um comentário