Tipos de skate: qual escolher para começar?

| | ,

Nenhuma comunidade esportiva é tão diversa e receptiva quanto a do skate. E é esse espírito de Faça Você Mesmo que fez surgir ou recuperar diversas modalidades muito interessantes e desafiadoras.

Para cada tipo de rolê existe um tipo de skate diferente, montado de acordo com as demandas de performance do estilo. Conheça os principais tipos e aprenda a montar o melhor skate para seu jeito de andar!

Quais são os tipos de skate?

Para categorizar os diferentes tipos de skate, precisamos falar sobre suas principais modalidades e porque os skates são do jeito que são. Confira cada um!

Longboard

O Longboard está entre os tipos de skate mais populares para andar em parques ou descer ladeiras. A modalidade é praticada desde o início do skateboarding, e sua origem mítica envolve surfistas que colocavam rodinhas sob as suas pranchas de surf para deslizar pelas estradas, simulando as manobras e movimentos das praias.

O shape do longboard é bem comprido, seguindo a partir dos 70 cm até os 200 cm. Apesar do comprimento, sua largura é relativamente pequena considerando o comprimento deles, geralmente com algumas cavas para deixar livres as rodinhas, que são mais largas do que as convencionais, assim como os trucks. Quanto mais largo um truck, maior a estabilidade que ele oferece e, como a regra do longboard é a velocidade e a estabilidade, toda sua estrutura privilegia esse fundamento, como as rodinhas bem mais largas, o shape alongado e o uso de abecs altos.

Além da velocidade, a estabilidade do longboard importa bastante na modalidade carving, que consiste em descer o trajeto fazendo slides, manobras de viradas rápidas, que quebram o ganho de velocidade excessiva e são fortemente inspirados nas manobras do surfe.

Para carving, atributos como trucks e shapes alongados e rodinhas mais moles são importantes, além do uso de luvas de slide serem fundamentais para executar as melhores performances com os slides de board.

Já no downhill, o propósito é atingir grandes velocidades com descidas livres. As rodinhas mais duras e largas são importantes, porque garantem menos risco de tropeçar em algum tipo de pedrinha ou outros obstáculos, perdendo a estabilidade. Por atingir velocidades de até 100km/h, o uso de proteção completa é obrigatório!

O longboard serve com um meio de transporte agradável, e a modalidade cruising consiste no uso do long como veículo de passeio; seja para se locomover entre obrigações ou apenas fazer passeios por lugares legais, afinal, a largura extra das rodinhas do long permitem que você ande em mais superfícies diferentes.

O Dancing é uma modalidade onde os skatistas praticamente dançam em cima do skate (por este motivo tem esse nome), quando percorrem as distâncias executam movimentos com ótima show de sincronia com o skate, ótimo equilíbrio e movimentos bem elaborados. Um verdadeiro show sobre rodas!

Cruiser

O skate cruiser tem voltado à popularidade e ganhado muita atenção. Durante os anos 70 e 80, foi um tipo padrão de skate, muito utilizado nos espaços urbanos como meio de transporte, afinal, seu próprio nome sugere essa função comum.

Mas o cruiser é muito mais do que isso: ele é um modelo muito apreciado para se andar nos bowls. Por ter um shape mais curto, com no máximo 90 cm, dá mais maleabilidade para os skatistas.

Apesar do shape mais curto, os cruisers costumam até usar trucks de tamanho convencional, para ganhar mais estabilidade. Eles também dão preferência às rodinhas bem largas, assim como no longboard, porque o cruiser também é muito amado nas modalidades de carving. Assim como no caso dos longs, exigem luvas de slide e equipamento de proteção completo.

O tamanho do shape do cruiser o torna muito prático para se locomover pela cidade e guardar em qualquer lugar. Se você precisa se deslocar muito, ele pode ser uma ótima opção!

Skate tradicional

Na verdade, o skate que chamamos de “tradicional”, ou seja, o Double Deck é o mais jovem da lista, e acabou sendo aquele modelo mediano entre o cruiser e o longboard, com a média de 82 cm de comprimento. Sua largura é mais versátil, de acordo com a modalidade. As rodinhas são bem mais curtas, duras e com maior circunferência. Foi desenvolvido especialmente para a execução de manobras, que podem ser paradas, aéreas e no solo. Cada tipo de modalidade se refere a um tipo de pista/local para se praticar.

O skate vertical precisa de velocidade e estabilidade, então seus shapes e trucks são mais largos, assim como as rodinhas são mais duras e o maiores, o que também exige um rolamento que desempenhe melhor a velocidade;

O street skate é um gênero mais livre, praticado especialmente nos espaços urbanos e ruas, por ter muitas manobras de solo, exige um shape estreito para facilitar a execução de manobras de giro. As rodinhas são mais macias, para absorver parte da trepidação dos solos irregulares e melhorar a aderência.

Já o rolê freestyle customiza muito mais o tipo de skate: os shapes são bem curtos e reforçados, porém leves, e os trucks também são um pouco mais curtos, para dar mais maleabilidade na execução dos tricks.

E aí? decidiu qual é o seu estilo? Acessando o site da Skate dos Sonhos você tem a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre os diferentes tipos de skate mencionados nesta publicação, com as melhores condições para começar a andar hoje mesmo!

Anterior

Skate Street: a história, o estilo e a comunidade 

Principais manobras de skate para lançar no rolê

Próximo

Deixe um comentário